Enfermeira denuncia falsa médica de São José do Rio Preto

Não é difícil pensar que o exercício ilegal da profissão é crime, não é mesmo? Sabemos que é imprescindível que haja fiscalização do exercício da atividade médica, para que falsos profissionais não coloquem em risco a população ou até mesmo colegas de profissão   Sabemos dos constantes ataques do Conselho Federal de Medicina contra nós, […]
Falsa médica

Não é difícil pensar que o exercício ilegal da profissão é crime, não é mesmo? Sabemos que é imprescindível que haja fiscalização do exercício da atividade médica, para que falsos profissionais não coloquem em risco a população ou até mesmo colegas de profissão

  Sabemos dos constantes ataques do Conselho Federal de Medicina contra nós, Enfermeiras Estetas, e outras classes, almejando trabalhar em livre concorrência, não é mesmo? Agora, o que chama a atenção é o porquê o caso não vira uma repercussão, exatamente como fazem com nossa classe? E o risco que essa falsa médica estaria trazendo para  a população em atuar desta forma? E se acontecesse, dentro deste 1 ano de atuação algum caso mais grave? Como se reportariam?

Enfermeira deu o “start” para a prisão da falsa médica

Thaisa Daher do Prado, inicialmente foi denunciada por uma Enfermeira de Campinas-SP que ao entrar em contato com a verdadeira médica de São José do Rio Preto-SP, contou que a suspeita usava o mesmo nome e CRM da profissional. [widgetkit id=”37″ name=”Falsa médica”] Após a denuncia da Enfermeira, o boletim de ocorrência foi aberto e os policiais civis entraram no caso.

Falsa médica diz ser formada na Suíça, mas não tem diploma!

Em seu apartamento, no bairro Cambuí, os policiais civis encontraram dois carimbos com CRM – ambos de médicas que também se chamam Thaisa. Em seu perfil numa rede social, a falsa médica se apresenta como doutora e faz postagens com jaleco e equipamentos médicos. Thaisa alegou aos policiais que é médica formada na Suíça, mas não apresentou o diploma. Piada, né?! Falsa médica Segundo a Polícia Civil, Thaisa, que possui duas passagens por estelionato, prestava assessoria médica em um grupo de Campinas que faz regulagem e liberação de ambulâncias para clientes conveniados. O delegado Roney de Carvalho Barbosa, da DIG, explicou que Thaisa foi interrogada, indiciada por exercício ilegal da medicina e falsidade ideológica e liberada, já que não foi presa em flagrante. Fonte: G1 – Campinas e região

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© Copyright 2013-2021. Portal da Enfermagem Estética.