Skip to main content

Maislaser de Ana Hickmann fecha unidades em todo o Brasil causando prejuízo a franqueados

Empresas da ex-modelo vão de clínica de estética a escola profissionalizante e chegaram a faturar R$150 milhões em 2022. Maislaser de Ana Hickmann fecha unidades em todo o terrirótio brasileiro deixando franqueados desamparados e com dívidas.

Ana Hickmann vem tendo o nome bastante divulgado em sites de notícias e nas redes sociais em razão da exposição do fim do seu casamento com o empresário Alexandre Correa. Com a divulgação da separação, números das empresas do grupo vieram a tona e mostraram a má gestão realizada pela apresentadora. Com isso, a Maislaser de Ana Hickmann fecha unidades em todo o Brasil e revela crise na franquia de depilação causando prejuízo a terceiros.

Dívidas milionárias geram crise em gestão de empresas do grupo Ana Hickmann – Maislaser é uma das afetadas

Ana Hickmann além de apresentadora é ex-modelo, dona e sócia de diversas empresas. Juntos, esses trabalhos podem ter rendido o montante de R$150 milhões para a fortuna de Ana somente em 2022 quando as franquias gerenciadas pelo grupo da apresentadora contava com 420 franqueados. Apesar do alto faturamento divulgado pela empresa, os negócios de Ana Hickmann marcaravam dívidas de quase R$50 milhões.

Uma das empresas de Ana Hickmann é a de depilação Maislaser. A franquia, lançada em 2018, no passado já rendeu bons frutos à apresentadora, mas não demorou muitos anos para que apresentasse problemas de gestão. Os primeiros casos de franqueados que tiveram suas unidades fechadas, aconteceu ainda em 2020. Novas unidades tiveram lançamentos, mas apenas mascaravam as dificuldades financeiras e lançavam franqueados a um empreedimento que caminhava para uma crise generalizada.

O portal Metrópole apurou que diversos franqueados da Maislaser tiveram suas unidades fechadas de forma repentina na cidade do Rio de Janeiro, deixando prejuízos e clientes insatisfeitos. Tais acontecimentos trazem à tona a discussão sobre a gestão da apresentadora à frente de suas empresas. Vale ressaltar que outra empresa de Ana Hickmann passou pela mesma situação há alguns anos, o Instituto Ana Hickmann. Muitos franqueados do instituto (escola de cursos profissionalizantes na área da beleza e tecnologia), entraram com processos após verem seus investimentos se esvaindo sem nenhum suporte. 

Maislaser de Ana Hickmann fecha unidades
Ana Hickmann – Instagram

Maislaser de Ana Hickmann fecha unidades em todo o Brasil – Franqueados relatam abandono

No caso da Maislaser, antes que os processos chegassem na mídia, a rede decidiu promover rescisões contratuais antecipadas, causando desconforto entre os franqueados. 

O Metrópoles, divulgou que um dos franqueados foi iludido com a informação de que o local onde a franquia seria instalada era adequado para a instalação de um negócio de depilação à laser, porém, em pouco tempo, os investidores constataram que o ponto indicado era completamente inadequado. 

Sem auxílio ou retorno da rede, muitos desses franqueados alegaram que os rendimentos não estavam condizentes com o esperado, chegando até mesmo a terem prejuízos de R$1 milhão.

A gestão se viu em um momento tão crítico, que para não perder mais investidores e conseguir superar as dificuldades financeiras e de expansão, lançaram uma modalidade estilo “combo” onde ao se adquirir uma unidade Maislaser ganharia como “brinde” um Instituto Ana Hickmann.

O planejamento falhou e algumas unidades foram afetadas ocorrendo novos fechamentos por todo o país em 2023.

Empresários perdem investimentos com a Maislaser

No fim de 2023, a empresária Keylla, franqueada da empresa Maislaser fixada em Betim (MG), veio a público acusar o então casal Ana e Alexandre por propaganda enganosa. Segundo ela, Ana e Alexandre venderam a franquia com a promessa de faturamente de R$1,2 milhão por ano, mas ao fechar a parceria em dezembro de 2020, Keylla afirma que além de não conquistar o retorno esperado, nunca teve apoio ou suporte da rede.

Em quatro meses, Keylla e o marido se viram na situação de solicitarem o fim da sociedade, encerrando mais uma das franquias Maislaser. As dívidas aumentaram com a necessidade de empréstimos e para manter o pagamento de funcionários e fornecedores, precisaram atrasar os royalties da franquia, até o ponto de entregar a franquia, segundo eles, a preço de “banana”.

Escândalo Ana Hickmann abre debate sobre como vida pessoal interfere na carreira profissional

Um dos maiores investidores da franquia, Samuel Bueno, deve estar bem preocupado com o que vem acontecendo com a Maislaser. O empresário abriu sua primeira clínica em Santa Cruz do Sul (RS) em 2020. Samuel é um dos franqueados que acreditaram na rede e realizou grandes investimentos ao longo dos últimos anos. Ao todo já são 40 franquias abertas gerenciadas pelo empresário que acompanha com apreensão o andamento da crise que se alastra pela rede de depilação.

Samuel investiu em clínicas por diversos estados como Minas Gerais, Paraná, São Paulo, Paraíba, Espírito Santos, Rio de Janeiro, Tocantis e Rondônia.

Samuel Bento – Foto Divulgação

Para comandar tantos empreendimentos, Samuel conta com o apoio de diversos interlocutores. São sócios, funcionários, fornecedores, pessoas que estão por trás das clínicas que dependem da franquia. Uma crise como a que passa Maislaser prejudica a vida de centenas de pessoas que depositam tempo e dinheiro nos investimentos e acabam desamparadas pela rede que claramente não está qualificada para atuar em um mercado que movimentou em 2023 R$55,6 bilhões. Como ter segurança para continuar investindo em uma empresa que está em decadência como a rede Maislaser?

Maislaser deixa de ser uma rede confiável

Esta situação claramente não melhora com a exposição da separação do casal Ana Hickmann e Alexandre Correa. Ana, por ser a “cara” da empresa, vê aos poucos a sua reputação ser abalada com as trocas de acusações entre ela e o ex-marido. Esse tipo de conflito pessoal aumenta o sinal de alerta e atenção na hora de investir em empresas que levam o nome de Ana Hickmann, levando todo potencial investidor a refletir o quão valioso e vantajoso é empreender no ramo da estética, concluindo que é uma furada entrar em negócios, principalmente, liderados por artistas e empreendedores que não têm qualquer relação técnico-profissional com os serviços de Saúde Estética ofertados.

Segundo o site da rede Maislaser, atualmente são mais de 250 clínicas espalhadas por todo o Brasil, e o impacto direto dessa crise está causando prejuízo a franqueados com o fechamento de unidades por todo o território brasileiro.

Exposição da separação trouxe a tona gestão irregular das empresas e desvalorização da marca Ana Hickmann

É fato que por ela ser uma pessoa famosa, os holofotes acabam ficando em cima da ex-modelo, mas de que maneira os recentes acontecimentos da vida pessoal gera desgaste ainda maior na imagem e, consequentemente, nas empresas de Ana Hickmann. Este é um assunto que interessa principalmente aos responsáveis pelas franquias dos negócios geridos pela apresentadora e aos futuros investidores no setor da Saúde Estética.

De acordo com a justiça, as empresas de Ana Hickmann devem aproximadamente R$46 milhões para 25 credores, entre eles bancos e demais empresas de empréstimo. Ana Hickmann é detentora da maior porcentagem da empresa, obtendo 95% das ações e Alexandre apenas 5%. Há ainda um valor aproximado de R$1.2 milhão em nome da própria Ana Hickmann oriundos de outros empréstimos para, segundo ela, pagamento de contas pessoais. 

Escândalo Ana Hickmann abre debate sobre como vida pessoal interfere na carreira profissional

Com a divulgação da separação e a disputa, nem um pouco amigável, entre a apresentadora e seu ex-marido, uma enxurrada de comentários e dúvidas sobre o caso foram criadas, inclusive sobre a fortuna de Ana Hickmann e de como uma empresa que aparentemente tinha um grande faturamento anual, se envolveu nesse mar de confusões e dívidas. 

Qual impacto da crise na imagem pessoal nos negócios?

Escândalos na vida pessoal de pessoas famosas associadas a uma empresa podem definitivamente afetar a imagem e o valor dessa empresa. A marca da empresa pode ser negativamente impactada caso esteja associada a comportamentos controversos ou moralmente questionáveis por parte dos seus proprietários. 

Uma crise e um enfraquecimento deste tipo pode acarretar na perda não só do valor financeiro, mas também na credibilidade e na confiança dos clientes e de investidores. No caso das empresas de Ana Hickmann, com o fechamento de diversas unidades Maislaser, franqueados costumam questionar a forma como é gerido os negócios da rede e por muitas vezes tendem a desfazer contratos, diminuindo ainda mais o valor de mercado da franquia. Escândalos acabam dispersando interesses de investidores e dificultando a retenção na rede, não deixando escolha para os investidores a não ser migrarem para outras redes concorrentes

A marca Ana Hickmann, segundo avaliação de especialistas, valia até hoje cerca de R$100 milhões, afinal, seu nome era considerado uma grife de altíssimo valor, mas, o quanto essa exposição da separação e diversas brigas judiciais podem afetar o futuro da rede Maislaser e dos demais negócios de Ana Hickmann? Não foi preciso esperar muito tempo para ver a franquia indo a ruína.

Cuidado ao investir o seu dinheiro

Saber lidar com a gestão em momentos de crise é fundamental para quem pretende abrir seu próprio negócio. É de conhecimento de todos que empreender necessita de conhecimentos sobre o mercado para tomar decisões importantes sobre o próprio negócio. Abrir uma clínica não depende apenas de dinheiro ou fama.

Você, empreendedor, enfermeiro esteta, o que pensa sobre casos assim? É uma preocupação quando pretende fechar parcerias? E como você se previne para que sua vida pessoal não interfira em seus negócios?

Assessoria Blog
Editorial
Veja mais Noticias

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *