Porque os dermatologistas lutam contra enfermagem estética? Saiba agora os mínimos detalhes sobre o processo SBD x COFEN

Não é de hoje que os médicos se juntam para brigar com os demais profissionais pela exclusividade dos procedimentos estéticos. Entenda o porquê a SBD (Sociedade Brasileira de Dermatologistas),  representando os dermatologistas lutam contra enfermagem estética.

Cronologia do Caso:

09/11/16: COFEN publica a resolução 0529/2016, que regularia a atuação do enfermeiro na enfermagem estética;

10/05/2017: SBD consegue liminar que suspende a resolução 0529/2016, com as seguintes alegações:

(1): os limites legais de atuação regulamentar dos conselhos profissionais

– (2): os procedimentos estéticos invasivos não cirúrgicos descritos na resolução vão de encontro a lei do ato médico – que define como ato médico a indicação e execução de procedimentos invasivos.

– (3): na defesa à saúde da população colocada em risco caso haja atendimento por profissional não médico inabilitado cientifico e legalmente.

08/08/2017: Acontece a primeira audiência de conciliação sem acordo, a SBD mantém as suas falsas alegações que são acatadas pela juíza da 4ª Vara de Brasília.

04/09/2017: COFEN aguarda intimação para se manifestar e apresentar recurso.

O que é a SBD?

A SBD, é uma empresa privada, sem vínculo público, que não representa toda a classe de dermatologistas do Brasil. Seu interesse único é dar esperança aos 7 mil médicos dermatologistas associados a eles. Para isso eles criaram um ambiente de instabilidade jurídica desnecessário.

Esse clube de médicos se achou no direito de desqualificar toda uma classe de enfermeiros, são 7 mil associados a SBD, contra mais de 1 milhão de enfermeiros ligados ao COFEN, que podem exercer a enfermagem estética de acordo com a resolução (caí aqui a primeira (1) alegação da SDB, já que o próprio COFEN e outros conselhos profissionais como biomedicina e farmácia, já regulamentaram a atuação dos seus respectivos profissionais na estética).

O verdadeiro papel do dermatologista

  • Dermatologistas Lutam Contra Enfermagem Estética

Com esse ato, os dermatologistas mostram mais uma vez que não querem exercer a sua profissão: salvar vidas, curar doenças de pele, câncer, é para isso que eles se formam. Muitos preferem atuar na área da estética. Porque? É mais  prazeroso e dá mais dinheiro.

Eles querem eliminar a concorrência e causam um desserviço à sociedade, já que sem concorrência os preços nunca diminuem, os profissionais ficam acomodados, não se qualificam, não oferecem novos tratamentos e a área fica sem inovação.

Quem pode realizar procedimentos estéticos com segurança?

Reconhecidamente os médicos dermatologistas e os cirurgiões plásticos são líderes absolutos no ranking de erros estéticos tirando até mesmo a vida das pessoas em nome da beleza e vaidade. Tais erros grosseiros em sua grande maioria surgem de procedimentos invasivos cirúrgicos, ou seja, aqueles que atingem órgãos internos e só a classe médica se arrisca a fazer.

Muito disso se dá pela razão de que médicos dermatologistas têm em sua grade curricular poucas horas de estética, somando apenas 300 horas, num único semestre do total de 3 anos de residência. Já o enfermeiro esteta para ser habilitado e exercer a profissão precisa cursar mais de 500 horas de especialização reconhecida pelo MEC.

Os procedimentos estéticos realizados pelos enfermeiros estetas são os procedimentos injetáveis não cirúrgicos como a aplicação de toxina e preenchedores, que não ferem o ato médico, segundo a alegação número (2) dos dermatologistas.

Então quem está mais qualificado para exercer os procedimentos estéticos? Aqui caí a terceira (3) e última alegação pautada no processo, a preocupação de o cidadão ser atendido por profissional não médico e desqualificado, já que o médico neste caso é o menos qualificado para realizar procedimentos estéticos.

Baixe aqui a resolução 0529/2016.

Baixe aqui o resultado da primeira audiência de conciliação.

5 COMENTÁRIOS

  1. Perfeito! Vale resaaltar que em unidades hospitalares, quem passa sonda vesical, sonda enteral, gasometria é o enfermeiro. Médicos não ousam realizar essas atividades. Essas atividades sim atingem órgãos. Mas porque médicos dermatologistas não reivindicam também exclusividade para esses procedimentos??? Porque não é rentável… essa é a questão: RENTABILIDADE, BUFUNFA, DINHEIRO NO BOLSO $$$$$$

    • Concordo plenamente! Ainda incluo catéteres profundos que o enfermeiro tem habilitação para passar conforme a sua especialização. Isso eles não reivindicam! Iriam reivindicar se pudéssemos fazer cirurgia e ganhar o $$$ que eles ganham…

  2. O enfermeiro é qualificado a realizar procedimentos estéticos sim , pois realizamos procedimentos muito mais invasivos .Como passagem de sonda , punção de jugular , podendo causar danos também.Enfermeiro estudou 5 anos pra realizar tais procedimentos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Somos apaixonados pelo que fazemos e fazemos tudo por amor. Nosso compromisso é apenas com a verdade e com o que acreditamos e defendemos – a biomedicina estética é legítima, um direito do biomédico, do biomédico esteta, do graduando em biomedicina e, principalmente, de toda a sociedade beneficiada com as informações aqui divulgadas e como caminho de beleza e elevação da auto-estima.