Enfermagem Estética: descubra as Práticas Integrativas mais utilizadas e seus benefícios

Você já ouviu sobre as Práticas Integrativas e Complementares em Saúde (PICS)? Certamente já, mas acho que não sabia que pertenciam a este grupo, não é? Yoga, ozonioterapia, naturopatia, reiki, meditação, são exemplos de PICS que as pessoas já conheciam por senso comum, mas não tinham ideia do poder medicinal delas. A Saúde Integrativa é […]
práticas integrativas
Você já ouviu sobre as Práticas Integrativas e Complementares em Saúde (PICS)? Certamente já, mas acho que não sabia que pertenciam a este grupo, não é? Yoga, ozonioterapia, naturopatia, reiki, meditação, são exemplos de PICS que as pessoas já conheciam por senso comum, mas não tinham ideia do poder medicinal delas. A Saúde Integrativa é a área que abraça essas práticas e ela tem como objetivo cuidar e olhar o ser humano como um todo, tratando corpo, mente, espírito e alma ao mesmo tempo, assim, potencializando a qualidade de vida da pessoa.  Entenda melhor sobre a Enfermagem Integrativa, quais são as Práticas Integrativas e Complementares mais utilizadas na Estética e os seus benefícios para todo o corpo neste artigo. Continue lendo!   

O que são Práticas Integrativas e Complementares?

As Práticas Integrativas e Complementares são terapias consideradas complementares, pois elas não substituem o tratamento médico convencional oferecido para cada doença, mas elas contribuem para uma melhora acelerada do quadro.  Podemos dizer que elas “nasceram” do senso comum, pois são terapias oriundas de conhecimentos tradicionais e servem para prevenir e colaborar no tratamento de diversas doenças.  Entre as doenças que elas complementam o tratamento, podemos citar as doenças crônicas, como hipertensão, diabetes, depressão, fibromialgia, entre outras.  As Práticas Integrativas e Complementares já eram reconhecidas pela Organização Mundial da Saúde (OMS) desde 1972, mas no Brasil isso só aconteceu em 2006, quando o Ministério da Saúde estabeleceu no Sistema Único de Saúde (SUS) a utilização através da Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares Atualmente, o SUS oferece 29 Práticas Integrativas e Complementares gratuitamente para o público. E por cuidar tão bem do corpo como um todo, não demorou muito para as Práticas Integrativas começarem a ser utilizadas na Estética.   

Práticas Integrativas e Complementares na Estética e seus benefícios

A Saúde Estética veio para cuidar do corpo como um todo, seja na beleza exterior quanto interior, como para estimular o bem-estar e a qualidade de vida das pessoas, uma vez que os procedimentos atuam diretamente na elevação da autoestima.  Na Enfermagem Estética, quando o enfermeiro esteta analisa o quadro do paciente (caso ele seja um profissional da saúde integrativa), ele terá um olhar mais humano, profundo e amplo na hora de identificar o que pode ser feito nos tratamentos para melhorar a saúde dessa pessoa. Mas como assim? A Ma. Dra. Ana Carolina Puga, mãe da Biomedicina Estética e pioneira no ramo de Saúde Integrativa, deu um exemplo bem prático do diferencial de um profissional esteta e integrativo.  “Vamos supor que esse paciente deseje um tratamento para gordura localizada, como intradermoterapia. Mas em sua investigação na avaliação você identifica que ele abusa dos doces, fuma, está acima do peso e faz ingestão de álcool com frequência. Você já consegue perceber que só a aplicação de enzimas não vai lhe dar uma resposta duradoura e satisfatória para o tratamento desse paciente”, ressalta a Dra.  E é neste cenário que as Práticas Integrativas e Complementares entram em ação e fazem do enfermeiro esteta um profissional completo, disposto a atuar e complementar todos os tratamentos que irão, de fato, melhorar a saúde do paciente de forma integral.  

Exemplos de Práticas Integrativas na Estética 

São muitas Práticas Integrativas e Complementares que podem ser usadas por um profissional da Enfermagem Estética e Integrativa, listamos três abaixo:
  • Terapia Neural: por meio de substâncias anestésicas injetadas em partes específicas do corpo, é possível equilibrar o sistema nervoso do paciente;
 
  • PRP: o Plasma Rico em Plaquetas contribui no crescimento celular do paciente estimulando o rejuvenescimento, isso por meio de aplicações de proteínas do próprio paciente em outras partes do corpo, como face, mãos, pescoço ou dorso;
 
  • Ozonioterapia: quando o ozônio é injetado no corpo, é possível melhorar a oxigenação dos tecidos e melhorar o sistema imunológico. Essa prática já é muito conhecida na Saúde Integrativa.
 

Como me tornar um Enfermeiro Integrativo? 

Se especialize! Caso você esteja procurando uma pós-graduação na área de enfermagem, existem especializações voltadas para a área integrativa como a Pós em Ozonioterapia e Integrativa e a Pós em Naturopatia Quântica Mas caso você já seja um enfermeiro esteta, mas deseja atuar também como integrativo, você pode fazer uma outra pós em Saúde Integrativa (como as citadas acima), ou fazer um curso prático híbrido de Ozonioterapia, por exemplo.    Gostou de saber sobre a atuação do enfermeiro na Saúde Integrativa? Compartilhe com seus colegas de profissão! Deixe seu comentário e dúvidas sobre o tema aqui embaixo que responderemos pra você!       

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© Copyright 2013-2021. Portal da Enfermagem Estética.