Procura por profissional que remova tatuagem têm crescido nos últimos anos

João que amava Teresa que amava Raimundo que amava Maria que amava Joaquim que amava Lili que não amava ninguém. João tatuou o nome de Teresa no braço. E agora João? Brincadeiras à parte, o motivo mais comum do paciente chegar à clínica em busca de remoção de uma tatuagem é o término de um […]
João que amava Teresa que amava Raimundo que amava Maria que amava Joaquim que amava Lili que não amava ninguém. João tatuou o nome de Teresa no braço. E agora João? Brincadeiras à parte, o motivo mais comum do paciente chegar à clínica em busca de remoção de uma tatuagem é o término de um relacionamento. Para sorte de João, hoje isso é possível. Se o relacionamento durou pouco, sorte de João. Isso porque se a tatuagem tem pouco tempo de vida, a remoção não prejudicial já que não penetrou ainda na pele. O procedimento de remoção de tatuagem pode ser realizado pelos profissionais da saúde, entre eles o Enfermeiro Esteta, devidamente habilitado. Neste caso, o uso do laser é o mais indicado. Para remover uma tatuagem é importante que o profissional da saúde avalie fatores como a quantidade de tinta usada no desenho, que é percebida logo na segunda sessão do tratamento. Desenhos coloridos são mais difíceis de sair enquanto os de traços pretos em peles claras são mais fáceis. O tamanho do desenho também é um dos fatores que determinarão o número de sessões que, geralmente são de 6 a 12 sessões, com intervalo de um mês cada. O tratamento para remoção combina diferentes tipos de laser. Pode ser usado o laser de rubi que produz luz vermelha com enorme quantidade de energia, absorvida apenas pelo pigmento. A luz é produzida em tempo curto, para que o calor não queime ou prejudique a pele. O laser Q-Switched Nd-yag também é uma ótima opção.    

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© Copyright 2013-2021. Portal da Enfermagem Estética.