Tatuagem não se limita mais a um determinado grupo social e deixou de ser sinônimo de marginalidade. Hoje é considerada arte e uma forma de expressão individual. As tatuagens ganharam desenhos fantásticos e pessoas de todas as idades e tribos buscam a que melhor expressa sua personalidade. Mais do que nunca, a tatuagem é democrática.

Por outro lado, existem casos em que as tatuagens não agradam mais, surgem arrependimentos por ações precipitadas, como tatuar o nome de pessoas, por exemplo. Algumas pessoas enjoam do desenho, em outros casos a tatuagem desbota, assim como há a queixas pelo arrependimento e descontentamento familiar.

De acordo com Dra. Ana Carolina Puga, especialista neste procedimento, adultos entre 25 e 40, que fizeram tatuagens quando adolescentes, são os que mais buscam as clínicas para a remoção do desenho indesejado, querendo apagar aquela marca que hoje incomoda.

Mas as clínicas de estética já possuem soluções para esses casos E a remoção da tatuagem com laser é a mais indicada. É um processo eficaz, pouco dolorido e lento, sendo necessárias algumas sessões para um resultado satisfatório. A quantidade de aplicações vai depender muito do tamanho da tatuagem e das cores nela utilizadas. As sessões vão sendo incluídas, pois no intervalo entre elas é que se percebe o clareamento obtido.

A remoção de tatuagem a laser

A remoção da tatuagem é para muitos algo necessário, e aparentemente impossível. Segundo Dra. Ana Carolina, há relatos de pacientes que no desespero, realizam técnicas inadequadas para a remoção da tatuagem, deixando cicatrizes definitivas na pele. As técnicas como a dermoabrasão, a salsabrasão, queimaduras químicas, ou até a cirurgia plástica são recursos muitas vezes mal utilizados, provocando apenas uma piora da situação.

No passado, utilizavam-se alguns métodos ablativos, como o lixamento da pele, a dermoabrasão, a salsabrasão, todos com um grande índice de infecção e cicatrizes inestéticas. Posteriormente foi a vez da excisão cirúrgica usando laser de Dióxido de Carbono, de Argônio ou de Rubi, que traziam poucos resultados não eliminando todas as cores do desenho ou trocando a tatuagem por uma cicatriz. Assim como utilizaram os lasers de pulsos longos e Luz Intensa Pulsada sem sucesso pleno do tratamento.

Existem ainda cremes aplicados a domicílio. Apresentam custo elevado, pouca evidência científica de resultados, e quase 100% das vezes geram as mesmas cicatrizes inestéticas dos tratamentos citados acima.

Hoje, com o avanço do laser, é possível para o enfermeiro que atua com estética eliminar uma tatuagem em até 100%. É consenso que o melhor método para remoção de tatuagens é com lasers do tipo Q-Switched (já existem lasers mais modernos, porém ainda em estudos e não disponíveis para a venda no Brasil).

Os lasers do Tipo Q-Switched são lasers com alta especificidade para o pigmento de tatuagem. Isso significa que conseguem destruir as partículas de tinta poupando ao máximo a pele, o que garante uma chance menor de surgimento de cicatrizes após o tratamento. Após a quebra das partículas de tinta, o sistema imunológico do paciente se encarrega de recolher os fragmentos quebrados, limpando toda a região, e carregando-os para a posterior excreção.

Existem 2 grupos de lasers Q-Switched:

– O laser Nd Yag Q-Switched: trata as cores preta e azul escuro, além da cor vermelha e derivadas do vermelho. Porém não remove eficazmente as cores verde, azul claro, amarelo.
– O laser do tipo Rubi Q-Switched e o laser do tipo Alexandrite Q-Switched: assim como o Nd Yag, tratam bem a cor preta, mas não possuem afinidade pela cor vermelha. Porém estes lasers são os ideais para tratar as cores claras.

Nas clínicas de estética especializadas que podem ser de enfermeiros, que por sinal são poucas no país, o laser mais utilizado é o ND-Yag QS, que emite um laser num comprimento específico para as cores pretas e escuras. Ainda possuímos os laser de Rubi- QS e Alexandita- QS que são utilizados para as tintas coloridas, facilitando a remoção destas.

Este laser é especifico, pois além de remover a tinta ele dá segurança na aplicação, não provocando danos irreversíveis à pele, não levando à cicatrização inadequada, protegendo todo o tecido dérmico. Pode ser feito inclusive em pacientes de todos os fototipos. Do branco ao negro, indianos e asiáticos.

Como o tratamento é gradativo, caso o paciente queira interromper o tratamento, ele não perderá os resultados já obtidos, pelo contrário, poderá ainda haver um desbotamento até 60 dias após a ultima sessão.

Por isso é recomendado poucas sessões para quem quer fazer uma outra tatuagem por cima, desbotando a primeira e repigmentando por cima. São indicadas de 6 a 8 sessões para quem quer eliminar totalmente a tatuagem, as vezes com menos ou com mais sessões dependendo de cada tipo de tatuagem e pacientes.

Duração do procedimento

O número de sessões é variável, pois depende de uma série de fatores. Tatuagens antigas, de cor preta e com pouca tinta (tatuagens desbotadas, falhadas e amadoras) respondem melhor ao tratamento do aquelas recentes (menos de 1 ano) e coloridas, pois possuem muita tinta. Tatuagens cosméticas, como as que são feitas em sobrancelhas e lábios, são removidas com muita facilidade e rapidamente, pois o pigmento é colocado superficialmente na pele.

A região onde a tatuagem é feita também é importante. Por exemplo, tatuagens localizadas no pescoço, por apresentar uma melhor drenagem linfática, são removidas com menos sessões do que tatuagens localizadas nos pés.

Outro fator importante é a resposta imunológica de cada paciente que influencia diretamente a velocidade de remoção da tatuagem, assim como a idade. A duração do processo varia de acordo com o tamanho da tatuagem e resposta imunológica do paciente, por isso o número de sessões é diferente para cada paciente. O intervalo entre as sessões deve ser de no mínimo de 30 dias, e geralmente, cerca de 30 a 45 dias, dependendo da cicatrização completa do local.

O intervalo não irá implicar no resultado da sessão, apenas na melhor cicatrização, por isso questione sempre o biomédico esteta responsável para lhe assegurar o melhor intervalo no seu caso.  Os pigmentos mais coloridos vão necessitar um número maior de sessões para serem removidos.

Cuidados antes de se submeter ao tratamento de remoção de tatuagem:

– A região que receberá o tratamento não deverá estar bronzeada, até uma semana antes da sessão.

– Passar anestésico tópico 30 minutos antes de começar o procedimento.

– Em algumas clínicas, há técnicas específicas de remoção sem dor – www.acorporalle.com.br e www.esteticatatuape.com.br

Profissionais que podem fazer a remoção a laser

Os profissionais que podem se capacitar para aplicar a técnica são: biomédicos, médicos, enfermeiros, farmacêuticos, fisioterapeutas, laserterapeutas e demais profissionais da saúde que atuam ou desejam atuar na área de estética e estejam interessados em seu aprimoramento.

Enfermeiro(a)! Gostou deste artigo? Deixe sua opinião e suas dúvidas nos comentários!

Gostaria de aprender essa técnica e incrementar seus rendimentos mensais? Acesse o site do curso de Remoção de Tatuagem a Laser do Nepuga.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Somos apaixonados pelo que fazemos e fazemos tudo por amor. Nosso compromisso é apenas com a verdade e com o que acreditamos e defendemos – a enfermagem estética é legítima, um direito e expressão de liberdade do enfermeiro, do enfermeiro esteta, do graduando de enfermagem e, principalmente, de toda a sociedade beneficiada com as informações aqui divulgadas e como caminho de beleza e auto-estima.