Feridas podem ser sinal de anemia falciforme

Doença hereditária, a anemia falciforme monogênica é  a mais comum do Brasil. A estimativa é de que em cada ano surjam entre 700 a 1000 novos casos de doenças falciformes. Causada por uma mutação no gene que origina uma hemoglobina anormal, a anemia falciforme é caracterizada por uma alteração nos glóbulos vermelhos. Como o nome […]
Doença hereditária, a anemia falciforme monogênica é  a mais comum do Brasil. A estimativa é de que em cada ano surjam entre 700 a 1000 novos casos de doenças falciformes. Causada por uma mutação no gene que origina uma hemoglobina anormal, a anemia falciforme é caracterizada por uma alteração nos glóbulos vermelhos. Como o nome da própria doença diz, os glóbulos ficam em formato análogo a uma foice. Esses glóbulos também costumam ter um tempo de vida menor e bloquear o fluxo sanguíneo. No Brasil, a anemia falciforme é mais comum em negros e pardos, mas também acomete pessoas brancas. Como sintomas, ela provoca dor e lesão em órgãos além de causar feridas na pele, dores articulares e abdominais, feridas nas pernas, infecções, enfartes pulmonares, retardo do crescimento e da maturação sexual, além do comprometimento de órgãos, sistemas e aparelhos. Apesar de grave, esta doença não possui tratamento específico.  Os portadores precisam de acompanhamento multidisciplinar especializado e constante. Quanto mais cedo começar a tratar, menor as chances de complicações para manter a oxigenação adequada nos tecidos e a hidratação, prevenir infecções e controlar as crises de dor. Pós Enfermagem Estética

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© Copyright 2013-2021. Portal da Enfermagem Estética.