O envelhecimento é um processo biológico normal e não deve ser considerado um problema desde que seu desenvolvimento seja saudável e no tempo certo

Quando isso não acontece sofremos diversas consequências, entre elas estão as doenças consideradas debilitantes e incuráveis (como a Doença de Parkinson), que resultam na degeneração e até mesmo na morte das células nervosas.

A doença de Parkinson é caracterizada pela instabilidade postural, tremores, sinais cardinais de rigidez, bradicinesia e acinesia e ela está intimamente interligada ao processo de envelhecimento devido à aceleração da perda de neurônios dopaminérgicos com o passar dos anos.

Estes trazem como consequências limitações na vida das pessoas, despertando nelas um sentimento de incapacidade, repercutindo em baixa qualidade de vida.

Habitualmente a doença de Parkinson não é considerada hereditária (exceto quando ela é muito precoce) e caracteriza-se por ocorrer a partir dos 50 anos de idade, mas atualmente, temos observado inúmeros casos que surgiram precocemente, por volta dos 35 anos.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a Doença de Parkinson está em segundo lugar no ranking de casos de disfunções neurodegenerativas no mundo, sendo 19 novos casos por ano, a cada 100 mil habitantes. Desse número, estima-se que entre 3 e 6 por cento, sejam Parkinson Precoce.

Doença de Parkinson Precoce

A Doença de Parkinson não acomete apenas idosos. Quando assim, ela é subdividida em dois grupos, o Precoce, onde a doença se manifesta entre os 21 e 40 anos, e o Parkinson Juvenil, que seu início vem antes dos 21 anos de idade.

Quando isso acontece, ela é predominantemente de origem genética e seus principais sintomas são a bradicinesia, rigidez muscular e depressão.

Tratamento e prevenção da Doença de Parkinson

Embora ainda não tenha cura, os sintomas desta doença podem ser controlados e até mesmo aliviados com o uso de medicamentos, mas também com vida saudável, prática de atividades físicas e nível intelecto ativo, pois liberam dopamina, serotonina, noradrenalina e acetilcolina, que trazem vitalidade aos neurônios, protegendo o cérebro.

Uma dieta rica em tirosina, betacaroteno, vitaminas C e E, exercícios físicos regulares e sono de qualidade também são liberadores naturais dessas substâncias.

Mais uma vez podemos dizer que bons hábitos nos trazem mais vitalidade e um envelhecimento saudável.

BANNER PÓS GRADUAÇÃO LONGEVIDADE SAUDÁVEL E PRÁTICAS INTEGRATIVAS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Somos apaixonados pelo que fazemos e fazemos tudo por amor. Nosso compromisso é apenas com a verdade e com o que acreditamos e defendemos – a biomedicina estética é legítima, um direito do biomédico, do biomédico esteta, do graduando em biomedicina e, principalmente, de toda a sociedade beneficiada com as informações aqui divulgadas e como caminho de beleza e elevação da auto-estima.