Resolução que legalizava atuação dos enfermeiros na Estética foi revogada em 2017

Estamos vivendo um turbilhão de eventos relacionados à enfermagem nos últimos dias, e isso é maravilhoso. A cada conquista, a classe parece mais animada à lutar.  Porém, o que sempre preocupa ainda é a escassez de informações entorno da Enfermagem Estética.

No Brasil parece ser comum aquele que tem a maior voz vencer. É só olharmos o panorama da Enfermagem Estética nos últimos anos e ver a injustiça lançada a partir da revogação da Resolução 529/2016 criada pelo Conselho Federal de Enfermagem (Cofen) dando todo o respaldo para os enfermeiros atuarem na Saúde Estética.

Entretanto, os esforços foram insuficientes e perdemos a legalidade de atuar. Uma injustiça se observarmos que a atuação é totalmente respeitada em países mais desenvolvidos, como no Estados Unidos.

A solicitação de revogação da nossa Resolução foi originada por entidades como a Associação Médica Brasileira (AMB) e a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), alegando que determinados procedimentos estéticos só podem ser realizados por médicos, sob o risco de causar prejuízo “de ordem moral e física à saúde dos pacientes”.

A Resolução foi suspensa em 2017 e, desde então, o Cofen continua lutando para restabelecer a atuação do enfermeiro esteta. Afinal, só no Brasil “determinados procedimentos estéticos só podem ser realizados por médicos”.

Agora, a classe aguarda por uma nova definição. Segundo o Cofen, para que o pleito ganhe força, é fundamental que cada conselho regional da área entre com uma resolução própria.

Até o começo deste ano, entretanto, apenas o Distrito Federal e o Rio Grande do Norte haviam seguido a orientação.

PL em favor da Enfermagem Estética

Algumas lutas foram perdidas, mas a guerra continua. Além do Cofen apresentar recursos contra decisões liminares proferidas, uma nova esperança surgiu: a PL 2717/2019.

Proposta pelo biólogo Fernando César e apresentada pelo Deputado Federal Fred Costa (PATRI), a PL nos dará a liberdade tão desejada pela nossa classe.

Com a aprovação deste Projeto de Lei, nós, enfermeiros estetas, ficaremos livres das liminares médicas emitidas por juízes mal informados, sem conhecimento sobre os enfermeiros e enfermeiros estetas, desconsiderando que somos profissionais totalmente qualificados para atuar profissionalmente na área estética e com total independência.

Com apoio de diversas classes da saúde, como farmácia, biomedicina, odontologia, temos grandes chances de mudar a realidade.

Nós aqui do blog já atualizamos sobre a PL e estamos acompanhando diariamente o trâmite. Acompanhe aqui.

É possível atuar mesmo com a Resolução revogada?

Apesar da indefinição e de toda polêmica em torno do assunto, a atuação de enfermagem na estética é uma realidade no país.

Para isso, é necessário que os profissionais tenham especialização na área, de acordo com a legislação estabelecida pelo Ministério da Educação (MEC).

Atualmente, o enfermeiro esteta pode sim atuar, mas para tal, é necessário o acompanhamento de um Representante Técnico, o famoso RT.

É preciso ressaltar que este acompanhamento pode ser levado em consideração, principalmente por lutarmos juntos pela Saúde Estética com outras áreas da estética, como biomédicos e farmacêuticos.

Além disso, também temos que levar em consideração o RT, por sempre haver sociedades sendo construídas para abertura de clínicas, uma das grandes preocupações.

O importante é que nós estejamos sempre atualizados, preparados para o grande futuro que já está vindo! 🙌

Gostou deste artigo? Então queremos saber a sua opinião! Faça seu comentário abaixo ou nas nossas redes sociais.

  • PÓS-GRADUAÇÃO ENFERMAGEM ESTÉTICA

Deixe aqui seu Comentário

6 COMENTÁRIOS

  1. O problema dessa PL e ficar parada 20 anos como a do piso salarial da enfermagem! É por isso q vários enfermeiros já estão fazendo outras graduações.

    • Bom dia!! Verdade. Eu sou enfermeiro esteta desde 2017 e ao mesmo tempo não me sinto. E por isto estou virando uma página de um livro da minha vida que é ser enfermeiro com tantas habilidades técnica e cientifica. Ficará pindurado na parede do meu estúdio, o diploma e o certificado de enfermeiro generalista e pós enfermeiro esteta, como uma triste lembrança do corporativismo médico e um fracasso de um conselho fraco. Atualmente estou entre o oitavo e o nono período de farmácia e pós graduado em acupuntura. Este último será registrado no CFF, ou seja, tudo será registrado no novo conselho. INFELIZMENTE. POR IRONIA quem respalda a minha sala é o meu curso de esteticista !!! Não e nunca menosprezando esta profissão . Fica aqui o meu desabafo, meu repúdio !!!!

  2. Realmente é uma tristeza e uma Injustiça. Cabe agora á classe aprender a se unir e se valorizar. A enfermagem é espezinhada pelas outras profissões da área da saúde por causa do nosso comportamento. Há a desunião dentro da classe e baixa adesão de vários dos CORENs em relação á temáticas que interessam a todos os enfermeiros. É uma vergonha o papel que o enfermeiro ocupa perante a maioria da sociedade. O que parece que é servimos para limpar excrementos e que somos empregados dos médicos.
    Mas esse trabalho de educador é mesmo do enfermeiro. Por isso, cada COREN deve ser encarregado de fazer campanhas junto á população para demonstrar a nossa importância.
    Enfermagem é minha segunda graduação que estou terminando porque amo a profissão. Sou Analista de Relações Internacionais e nunca senti encantamento profissional com outra coisa que não seja a enfermagem. Mas muitas vezes presencio enfermeiros que o são apenas porque acreditam que tem emprego, ou porque não conseguiram uma coisa melhor (É muito triste isso!). Para além, ainda tem o fato de que os cursos particulares de enfermagem tem, de maneira geral, exigido um baixíssimo nível de conhecimento prático ou teórico de seus alunos. Esses muitas vezes formam sem nem saber ler direito! E eu já presenciei essa situação , bem como a de professoras, mestrandas, com deficiências enormes tanto no próprio conteúdo quanto na nossa língua. A Enfermagem no Brasil precisa se reformar internamente, ideologicamente. É necessário mostrar o valor dessa classe que é o verdadeiro cerne da saúde e acabar com o complexo de menos valia que tira o poder de luta dos enfermeiros.

  3. Enfermeiro faz tudo em Hospital sem presensa de ninguém muitas vezes quando o médico chega já fizemos tudo,como: passagem de sondas(gastrica,naso enteral,vesícal…),picc, aspirar e até extubar,curativo desbridamento de feridas,punção venosa e arterial.
    Isso é revoltante vc é graduado pós graduado enfim se aperfeiçoa ávida inteira,muitas vezes é Enfermeiro que toma decisões é RT então tem campo para todos
    Eu mesmo trabalhei 27 anos em Hospital fui até RT de hospital de grande porte e agora não posso fazer enzima intraderme é muito revoltante

    • Compartilhamos da sua revolta. É mesmo uma situação de total reserva de mercado e interesse da classe médica.

Comente abaixo! Extravase!! Liberte-se!!! Faz bem pra pele e pra alma!!!!

Please enter your comment!
Please enter your name here

Loading Facebook Comments ...
Somos apaixonados pelo que fazemos e fazemos tudo por amor. Nosso compromisso é apenas com a verdade e com o que acreditamos e defendemos – a biomedicina estética é legítima, um direito do biomédico, do biomédico esteta, do graduando em biomedicina e, principalmente, de toda a sociedade beneficiada com as informações aqui divulgadas e como caminho de beleza e elevação da auto-estima.

Deixe aqui seu Comentário