Afinal, especialistas em Enfermagem Estética podem aplicar injetáveis? 

A habilitação em injetáveis é um dos temas mais questionados pelos profissionais da Saúde Estética, principalmente os que se especializam em Enfermagem Estética. Por muito tempo, os enfermeiros não podiam atuar na área da Estética, mas tudo mudou com a liberação do COFEN. Depois de alguns impasses, em 2020, o conselho regulamentou a profissão, com […]
Enfermagem Estética injetáveis (2)

A habilitação em injetáveis é um dos temas mais questionados pelos profissionais da Saúde Estética, principalmente os que se especializam em Enfermagem Estética.

Por muito tempo, os enfermeiros não podiam atuar na área da Estética, mas tudo mudou com a liberação do COFEN.

Depois de alguns impasses, em 2020, o conselho regulamentou a profissão, com a resolução 626/2020, uma atualização da 529/2016, liberando a aplicação de injetáveis, a liberação para especialistas em Enfermagem Estética se capacitarem e atuarem.

Pelos impasses, há muitas dúvidas sobre a atuação dos especialistas de Enfermagem Estética sobre a habilitação em injetáveis. Quer entender mais? Então leia esse artigo até o fim. 

Enfermagem Estética e a luta pela habilitação em injetáveis 

Que enfermeiros precisam dominar as técnicas de injetáveis para terem sucesso dentro da profissão é um fato, mas por que será que há tanto impasse para habilitá-los nesses procedimentos na Estética? 

Em 2016, o COFEN habilitou a classe, possibilitando a atuação de enfermeiros na estética. Mas em 2017, uma nova regulamentação retirou, dentre outras mudanças, os procedimentos injetáveis das atividades praticadas pelos especialistas em Enfermagem Estética. 

A busca dos profissionais da saúde pela capacitação e habilitação em Estética começou há tempos, com o movimento criado pela Dra. Ana Carolina Puga, biomédica esteta, conhecida como a mãe da Biomedicina Estética.  

Com a conquista da habilitação em estética pelos biomédicos, outros profissionais começaram a lutar pela regulamentação junto ao conselho, sendo um deles os enfermeiros. 

Entretanto, a estética é uma área lucrativa e sempre houve uma reserva de mercado, sendo esses, alguns dos motivos dos impasses e obstáculos que o CFM, Conselho Federal de Medicina, impõe para dificultar as habilitações de outros profissionais da saúde, principalmente os especialistas em Enfermagem Estética. 

Hoje, após anos de luta da comunidade, o COFEN conseguiu a liberação das práticas e da capacitação dos enfermeiros.  Com a resolução 626/2020, os profissionais de Enfermagem Estética tem aval legal para trabalharem na área, inclusive com os procedimentos injetáveis, um dos mais procurados e lucrativos do mercado.  

COFEN- Conselho de Enfermagem que habilitou os procedimentos injetáveis para especialistas em Enfermagem Estética

Mas, ainda há muitas dúvidas e inseguranças a respeito dos injetáveis na Enfermagem Estética  Respondemos aqui as três principais, que os nossos leitores nos mandam. Confira!

1. Quais são os procedimentos que os profissionais de Enfermagem Estética podem aplicar? 

Os procedimentos injetáveis estão entre os mais desejados pelo público que busca promover a autoestima, retardar o envelhecimento e trazer harmonia ao corpo e face. 

Com tamanha procura, esse mercado é muito atrativo para os profissionais da estética, principalmente os da Enfermagem Estética, que já têm conhecimento, desde a graduação,  das técnicas de aplicação. 

A habilitação em injetáveis permite que os especialistas em Enfermagem Estética apliquem todos os tratamentos. Mas há os procedimentos que se destacam no mercado, pela grande procura, sendo eles:

  • toxina botulínica
  • ácido hialurônico
  • preenchedores
  • bioestimuladores e vitaminas
  • harmonização facial e corporal (combinação de tratamentos, incluindo alguns injetáveis, para promover a harmonia no paciente)

Esses procedimentos são rentáveis para os estetas, por serem de baixo investimento e alto retorno. Por exemplo, um frasco de toxina botulínica rende até oito seringas. O custo do produto é de R$800,00 e cada aplicação pode ser vendida em torno de R$1.000,00. 

Para aprender a calcular os preços dos procedimentos injetáveis, utilizar a quantidade ideal, não ter desperdício e ainda, otimizar os tratamentos, é interessante que o especialista em Enfermagem Estética busque cursos para aperfeiçoar suas técnicas de injetáveis. 

2. Posso oferecer os tratamentos injetáveis sem ter capacitação em Estética? 

Mesmo que o enfermeiro tenha conhecimento nos procedimentos injetáveis, por ser parte da sua formação, é necessário que realize a pós-graduação em Enfermagem Estética. 

E por que você deve fazer a especialização? Além de aprender técnicas exclusivas da saúde Estética, o COFEN exige que os profissionais pós-graduados em Enfermagem Estética tenham no mínimo, 100 horas de aulas práticas. 

Por isso, é necessário ficar atento quanto ao modelo de ensino da IES que você irá se especializar. As pós-graduações EADs podem ser interessantes para os enfermeiros, pela falta de horário que esses profissionais têm. Mas ela não irá permitir que você atue no campo da estética, por não oferecer as horas mínimas que o conselho exige. 

Há instituições que trabalham com o modelo híbrido de ensino, ofertando até mais horas de aulas práticas do que o COFEN exige. Mesmo tendo experiência com atendimento ao público e aplicação de injetáveis, com essas aulas, o profissional que está se especializando em Enfermagem Estética terá mais experiência para atuar nessa nova área. 

3. Posso abrir uma clínica ou consultório e aplicar os procedimentos injetáveis sem ter outro profissional como Responsável Técnico? 

Com as mudanças nas regulamentações sobre a aplicação de injetáveis, é comum que o especialista em Enfermagem Estética se sinta inseguro de abrir o seu próprio negócio. 

Mas não é necessário ter outro profissional pós-graduado em Saúde Estética para ser o Responsável Técnico da sua clínica ou consultório. 

Com a resolução de 2020, o especialista em Enfermagem Estética é um profissional capacitado e habilitado para aplicar injetáveis. 

O essencial é que, se você decidir empreender na área da Saúde Estética, esteja sempre acompanhando as atualizações do COFEN e do seu conselho regional de enfermagem. 

E então, especialista em Enfermagem Estética, tem alguma dúvida sobre os procedimentos injetáveis que não respondemos? Esse artigo te deu mais segurança para investir nessa área? Deixe seu comentário aqui!

Comentário (5)

  • Sim, com certeza fiquei mais segura e tranquila, pois realizei a minha pós na Nepuga e me sinto mais segura e confiante no aprendizado obtido.

    • Celular: 54999571917
  • Olá. Gostaria de saber sobre os procedimentos minimamente invasivos com dispositivos como caneta pressurizada- sem utilização de agulhas para inserção de injetáveis. São novas tecnologias. E o enfermeiro deveria poder realizar, uma vez que já realiza injeções intradermicas até mesmo. Sobre o uso dos injetaveis, havendo um protocolo previamente estabelecido por um Biomedico ou Farmaceutico por exemplo, tbm seria adequado o uso da terapeutico, nao é mesmo. Ou ainda, uma vez especialista, o profissional ja tem condiçoes de indicar os usos destes cosmeceuticos
    Poderiam comentar sobre este assunto

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    © Copyright 2010-. Portal da Enfermagem Estética.