Veja 10 benefícios do enfermeiro esteta investir em um curso de intradermoterapia

A cada dia a aplicação de enzimas tem se tornado o procedimento “queridinho” dos pacientes que chegam até as clínicas de estética a procura de tratamentos para emagrecimento e flacidez. Isso porque a técnica não precisa ser aplicada apenas em determinadas estações do ano e também porque atrizes globais como a Cláudia Raia já anunciaram […]
Intradermoterapia: técnica feita com enzima está entre os melhores tratamentos estéticos
A cada dia a aplicação de enzimas tem se tornado o procedimento “queridinho” dos pacientes que chegam até as clínicas de estética a procura de tratamentos para emagrecimento e flacidez. Isso porque a técnica não precisa ser aplicada apenas em determinadas estações do ano e também porque atrizes globais como a Cláudia Raia já anunciaram há tempos que fazem o uso dessas substâncias em seus tratamentos estéticos. Por ser um procedimento tão procurado e também por estar entre os 19 procedimentos que compõem a resolução da enfermagem estética publicada pelo Cofen (Conselho Federal de Enfermagem), separamos para você as dez vantagens de se aprender esse procedimento para realizá-lo em seus pacientes.

Confira os dez benefícios do curso de Intradermoterapia

  1. Intradermoterapia pode ser usada para tratamentos faciais, corporais e capilares;
  2. Cliente que reclama das estrias vai ficar contente com os resultados da Intradermo, pois a técnica estimula cicatrização da estria e reconstrução do tecido;
  3.  Trata flacidez corporal;
  4.  É um investimento de retorno rápido. O aluno pode parcelar o curso em 12x e com apenas um paciente que faça oito sessões ele já recuperou o valor investido em sua especialização;
  5.  Homens e até mulheres que sofrem com a queda de cabelos podem encontrar a solução para o problema com o tratamento que ajuda os fios a nascerem de novo;
  6.  Pacientes que desejam amenizar e prevenir os sinais de envelhecimento na face podem utilizar a intradermoterapia para promover hidratação profunda da pele;
  7. O curso vai ensinar os alunos a associar a técnica com outros procedimentos, como ultrassom de alta potência, radiofrequência e lipocavitação;
  8. Curso leva prática ao aluno e faz com que ele tenha segurança para já aplicar as enzimas assim que terminá-lo;
  9.  A técnica de Intradermoterapia e intramuscular é menos dolorida do que a Carboxiterapia, pois as injeções são aplicadas com a utilização de lidocaína, o que não acontece na Carboxiterapia;
  10. As enzimas que serão utilizadas durante os procedimentos tem um custo acessível e lucrativo para o profissional da estética.

Enzimas usadas na intradermoterapia quebram as cadeias de gordura

As enzimas lipolíticas são capazes de quebrar as cadeias de gordura, glicerol e ácidos graxos, transformando-as em partículas que são excretadas pelo organismo através da urina, fezes e suor. Avaliando cada caso, as aplicações podem ser feitas em uma frequência de uma ou duas vezes por semana, além disso, o local da aplicação também pode variar. Vale lembrar que para cada tipo de tratamento será usada uma enzima específica.

Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© Copyright 2013-2021. Portal da Enfermagem Estética.