A história é triste, mas o final é compensador. Letícia Franco é médica e portadora de uma rara doença crônica degenerativa

Foi após ser diagnosticada com a doença que ela decidiu dar fim a própria vida pelo procedimento chamado de “morte assistida”, logo após os médicos afirmarem que não existia medicamentos e tratamentos que pudessem curar a enfermidade. Foi então que ela conheceu a ozonioterapia. O decorrer desta história, você vai acompanhar neste post.

Nos últimos nove anos, Letícia sofreu 5 infartos e chegou a ser internada 35 vezes na UTI em decorrência da doença.

Foi então que a médica resolveu ir para uma clínica da Suíça e, através das redes sociais, anunciou que faria uma viagem sem volta. A decisão foi noticiada em diversos portais de notícias de Curitiba-PR.

Você sabe o que é morte assistida?

O suicídio assistido consiste em auxiliar alguém que não consegue sozinho concretizar o ato. Tal auxílio pode consistir em prescrição de doses letais de medicamentos ou apenas em apoio e encorajamento.

Na Suíça se aceita o suicídio assistido ao arbítrio da pessoa que o deseja, dispensa a ajuda médica e não é necessário que se esteja em estado terminal.

Diante da situação que, segundo os médicos não tinha cura, Letícia encaminhou um pedido para tornar-se membro da clínica de morta assistida na Suíça. Foi então que ela encaminhou diversos exames que atestavam o seu estado de saúde. A solicitação foi aprovada e a médica teve permissão para passar pelo procedimento, que custa cerca de R$15 mil.

“Expliquei aos meus pais sobre a minha decisão. Eles viam a minha dor e sabiam o quanto aquilo me fazia mal. No início, foi difícil para eles, mas acabaram aceitando. Depois, minha mãe pediu para que eu não fosse”, relata

Tratamento com ozonioterapia trouxe de volta a vontade de viver

A técnica da ozonioterapia consiste em uma mistura gasosa de ozônio e oxigênio medicinal e é utilizada para diversas doenças. O oxigênio tem efeito bactericida, fungicida e virucida.

Diante de todas as contraindicações que vários medicamentos comuns possuem, a ozonioterapia não possui nenhum efeito colateral, justamente por ser um oxigênio bioidêntico.

Em abril, uma médica que após saber do caso, convidou Letícia para sair de Cuiabá e ir até São Paulo para passar por um tratamento com ozonioterapia. A técnica que mistura gás de oxigênio com ozônio auxilia e muito em diversas patologias como tratamento complementar.

“Pesquisei e identifiquei que é um tratamento novo no Brasil, mas que essa médica me disse que poderia ser muito importante nos cuidados paliativos que tenho recebido”, declara.

Atualmente, Letícia faz sessões com ozonioterapia três vezes por semana, agora em Cuiabá:

“Eu me sinto muito melhor, principalmente nos dias do tratamento com ozonioterapia. Os dias mais difíceis, em que não consigo nem sair da cama, diminuíram muito. Há quatro meses não tenho grandes crises em razão da síndrome e tenho consumido muito menos morfina”, disse a paciente.

Existem diversos casos cientificamente comprovados de que o tratamento com ozonioterapia é eficaz e utilizado para diversas patologias.

Ministério da saúde reconhece o uso da ozonioterapia no Brasil

A Ozonioterapia é uma Terapia Complementar reconhecida pelo Ministério da Saúde e está dentro das Práticas Integrativas Complementares (PICS), liberada pelo SUS no Brasil neste ano de 2018.

Recentemente, o Ministério da Saúde reconheceu o uso da Ozonioterapia como Prática Integrativa e Complementar em Saúde, em 21 de março de 2018 teve publicado a Portaria nº 702.

Não damos a mínima se o Conselho de Medicina reconhece ou não, sabem porquê? Todos devem saber que a palavra do Conselho de Medicina é válida apenas na profissão deles (decisões de acórdão interno). O CFM não tem poder de Polícia Federal e nem de Ministério Público.

Portanto se nós, enfermeiros, nos especializarmos em cursos de ozonioterapia, podemos sim realizar tal procedimento como ozonioterapeutas. Aliás, o COFEN também é favorável a atuação dos enfermeiros com tratamentos de feridas (água e óleo ozonizados) e hidrocolonterapia com ozônio através do parecer n°23/2015/CTAS/Cofen.

Seja a diferença, busque o que há de novo no mercado, e almeje o sucesso na área!

Ozonioterapia

3 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Somos apaixonados pelo que fazemos e fazemos tudo por amor. Nosso compromisso é apenas com a verdade e com o que acreditamos e defendemos – a biomedicina estética é legítima, um direito do biomédico, do biomédico esteta, do graduando em biomedicina e, principalmente, de toda a sociedade beneficiada com as informações aqui divulgadas e como caminho de beleza e elevação da auto-estima.