A quantidade necessária de horas de sono varia de pessoa para pessoa, mas o mais comum são entre 6 e 8 horas. Quando bem administrado, o sono se torna um excelente aliado ao nosso organismo.

Vocês sabiam que uma boa noite de sono renova e muito as nossas energias? Isso mesmo! Dormir bem também fortalece o sistema imunológico, reduz o estresse, aumenta nossa capacidade de atenção, melhora a memória e raciocínio, controla o apetite, ajuda o corpo a se recuperar de doenças, traumas e cirurgias, além de fazer muito bem para a pele.

São tantos benefícios que pontuar item por item fica difícil. Numa visão geral, podemos afirmar que o sono também é essencial quando falamos em envelhecimento saudável e ele existe por três motivos: poupar energia, conservar o corpo e estabilizar a memória!

Quais as consequências quando não dormimos bem?

Pessoas que sofrem de insônia ou com má qualidade de sono são mais propensas a desenvolver diversos tipos de problemas de saúde, principalmente psiquiátricos. Elas ficam comprometidas na habilidade para realizar qualquer atividade que envolva diretamente a memória (como raciocínio lógico, lembranças e aprendizagem), são mais cansadas fisicamente, menos produtivas, tem um risco maior de sofrer acidentes e de adquirir problemas de relacionamento com familiares, colegas de trabalho e amigos.

Na pele, encurtar o repouso significa rugas, falta de viçosidade, olheiras e manchas, pois o corpo libera mais cortisol, um dos hormônios do estresse, que em excesso, inibe a produção de colágeno.

Durante o sono há produção e liberação de hormônios em nosso corpo como o do crescimento, cuja a carência facilita o acumulo de gordura, enfraquecem os ossos e deixa os músculos flácidos.

Medicamento nem sempre será o melhor caminho para que tenha uma boa noite de sono. Quando seguimos uma vida saudável, temos um organismo equilibrado que nos ajuda a desenvolver mais e melhor a melatonina, hormônio do sono que regula o relógio biológico e pode prevenir doenças.

Dicas para uma boa noite de sono

Pelo menos quatro horas antes de ir dormir, evite ingerir álcool e bebidas e alimentos com cafeína, como café, chás e chocolates. A cafeína tem efeito estimulante e acaba atrapalhando o sono. Já as bebidas alcoólicas irritam o estômago, o que pode causar desconforto gástrico durante a noite, sem contar que aumentam a diurese, provocando despertares durante a noite para urinar.

Procure ir para a cama sempre no mesmo horário. O metabolismo demora alguns dias para se acostumar com oscilações no horário do sono, por isso tente manter uma rotina todos os dias, inclusive nos fins de semana.

Durante a noite, geralmente na fase mais profunda do sono, a temperatura do corpo diminui, por isso o clima dentro do ambiente deve estar agradável. Temperaturas acima de 26 e abaixo de 18 graus Celsius não são confortáveis para o corpo, e o frio ou calor excessivos acabam fazendo com que se acorde no meio da madrugada.

Procure se alimentar três horas antes de deitar para que a digestão seja feita completamente antes de dormir. Coma alimentos mais leves e fáceis de serem digeridos, pois durante o sono o metabolismo desacelera. Alimentos de difícil absorção fazem o fluxo sanguíneo no estômago aumentar, enquanto o resto do corpo está mais relaxado, podendo causar refluxo.

Se não conseguir pegar no sono em 30 minutos, não fique deitado na cama, pois isso acaba estressando ainda mais. Levante-se e procure realizar uma atividade relaxante, como ouvir música suave ou ler, para ajudar a dormir.

Com essas dicas é impossível não termos uma qualidade melhor em nossas noites de sono, não é mesmo? Gostou dessa matéria? Então você vai amar ler essa: “A qualidade do sono e a influência nos tratamentos estéticos“.

BANNER PÓS GRADUAÇÃO PRÁTICAS INTEGRATIVAS E LONGEVIDADE SAUDÁVEL

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

Loading Facebook Comments ...
Somos apaixonados pelo que fazemos e fazemos tudo por amor. Nosso compromisso é apenas com a verdade e com o que acreditamos e defendemos – a biomedicina estética é legítima, um direito do biomédico, do biomédico esteta, do graduando em biomedicina e, principalmente, de toda a sociedade beneficiada com as informações aqui divulgadas e como caminho de beleza e elevação da auto-estima.